Arquivo do mês: março 2011

Quando a portabilidade e o desbloqueio não funcionam como deveriam

Este post é para você meu amigo, que acredita cegamente no desbloqueio efetuado nas operadoras. Sabe aquele celular que você pegou e ficou 1 ano pagando para a operadora e agora vai se mandar para outra? Você pode ter algumas dores de cabeça que, nem a Anatel nem o Governo te avisaram.

Vou contar a primeira dor de cabeça, a mais complicada. Começou assim. Fiquei 1 ano com uma operadora e com o celular já desbloqueado pela operadora no dia da compra. Depois, como a operadora não quis fazer um bom negócio, fui-me embora para outra.

Tudo correu perfeitamente bem até o momento que tive que usar o famigerado 3G para acesso à internet. Sério, ninguém no meu lugar teria feito o que fiz. Venderia o celular e compraria outro. Acontece que no momento isso não era uma opção, então botei a cabeça para funcionar e reclamei onde pude.

Metade dos meus aplicativos Symbian instalados não funcionavam. Nem a caixa postal nativa. Reclamei na operadora, uma, duas, quatro vezes. Fizeram tudo o que podiam e nada. Reclamei então no fabricante, que disse o problema ser relativo à configuração de rede da operadora.

Eu fiquei no meio do jogo de empurra, mas o fato é que o problema era tão profundamente esquisito que ninguém sabia como resolver. Na boa, eles nunca iriam conseguir.

O fato é que ao colocar o chip, a configuração de acesso à internet da nova operadora não foi reconhecida pelo celular. Afinal, ele estava desbloqueado mas sua configuração interna era toda da operadora original que vendeu o celular. Então, a configuração foi feita manualmente falando no atendimento telefônico.

Vamos esclarecer uma outra coisa agora relativa à venda de celulares. Eles são fabricados desbloqueados completamente, quando são vendidos em lojas. Mas se forem comprados em alguma operadora, ele vem com um sistema operacional customizado para aquela operadora.

Isto quer dizer que o código de produto do celular é o número 123456 (exemplo) e diz respeito ao modelo de celular exclusivo da operadora, diferente do número 000000 que diz respeito a celular desbloqueado de fábrica.

Dito isto, o que vou dizer agora é opinião minha, já que tecnicamente ninguém me esclareceu. Acredito que havia uma configuração de rede da operadora dona do aparelho que me impedia de acessar adequadamente a internet com outras duas operadoras (só uma funcionava, além da operadora original).

Um colega de trabalho que tem um bom conhecimento destes meandros informáticos me falou “mude o código do produto”. Até não dá muito trabalho o procedimento, o problema é fazer backup de tudo.

Explicando, o celular terá inscrito um código de produto, mas na memória eu vou mudar este número. Isto implica, ao fazer isso, baixar outro firmware (sistema operacional interno) do novo código, simplesmente usando o Nokia Ovi Suite. O negócio era achar um código de produto desbloqueado. Depois de alguma procura, achei. Essa parte foi legal, achei um programa com todos os códigos de produtos por país e operadora. Foi só escolher o desbloqueado.

Após fazer o procedimento de mudança via NSS, baixei o novo firmware e voilá! Tudo funcionou perfeitamente, porque ao colocar o chip da operadora ele automaticamente instalou todas as configurações, inclusive para acesso à internet. E tudo funcionou. Foram longos 4 meses de agonia para chegar nisso. Um usuário comum iria atrás disso? Nunca.

A segunda dor de cabeça é comprar um celular que é exclusivo da operadora. Minha esposa até hoje não consegue mandar uma simples mensagem mms porque a nova operadora não sabe como configurar o modelo que ela nunca vendeu. Este problema até hoje eu não resolvi.

Deixe um comentário

Arquivado em Geral, Smartphones